Resenha O Visconde que me Amava



O Visconde Que Me Amava

Julia Quinn

Arqueiro, 2013

Os Bridgertons - Livro 02

 Sinopse: A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será
Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.
Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.
Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.
Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.
Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro
da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.

Anthony, o primogênito dos Bridgertons sempre idolatrou o pai, tinha nele um exemplo de integridade e amor pela família, quando o patriarca Edmund falece de forma abrupta toda a família sofreu, mas Anthony se viu sem chão. Como ele, um mero jovem, poderia superar seu pai, mesmo que fosse na idade?
Pensando nisso, Anthony traçou seu futuro, morrer jovem e com o futuro da família a zelar, incluindo deixar herdeiros... necessariamente precisa de uma esposa. Que comece a caçada por mais um Bridgerton solteiro e tudo de bom!
Se tem uma garota debutante que daria a esposa perfeita é Edwina Sheffield, além de linda a mocinha tem um cérebro e é discreta, no caso ela é bem diferente da irmã Kate, que além de não ter papas na língua é considerada uma solteirona para os padrões da época.
“Mas, enquanto Kate ria com Edwina, teve um incômodo sentimento de culpa. As três Sheffield sabiam que quem agarraria um nobre e sua fortuna seria Edwina. Seria a mais nova quem garantiria que a família não passaria o resto da vida em pobreza refinada. Edwina era bela, ao passo que Kate era... Kate era Kate” p. 20
Não entendam mal o quote acima, em Londres do século XIX esse pensamento era tão comum, os casamentos eram negócios e o amor era uma mera casualidade, mas isso não quer dizer que Kate não esperasse encontrar um homem honrado para amar e que em hipótese alguma seria alguém como Anthony Bridgerton, um libertino da pior espécie!
Mas se esse Bridgerton acha que vai por as garras em sua doce irmãzinha, Kate mostrará com quantos paus se faz uma canoa. Enquanto Anthony tenta amolecer essa “megera” vai percebendo que talvez ela não seja assim tão megera e Kate acaba percebendo que talvez um ex-libertino de um bom marido.
Se me permitem usurpar brevemente o posto de Lady Whistledown, a maior fofoqueira de Londres, eu diria que Anthony estava querendo a irmã Sheffied errada como esposa. Um Bridgerton merece uma mocinha bem petulante, divertida e que mostre a Anthony como viver a vida de forma mais leve
Adorei a Kate, ela é pra frente, diz o que pensa, é divertida! Como ela me fez rir, ela se mete em cada uma, uma confusão maior que a outra, diversão na medida certa. E Anthony, ah como pude entendê-lo melhor com seu próprio livro, seu lado protetor, ciumento e até um pouco enxerido.
Não quero dar spolier, mas esse livro é muito bom, pois Julia arrasou nas cenas engraçadas, além de inovação o humor não faltou, tudo regado a muito romance. Mais uma vez a autora usou bem uma fórmula antiga, mas de sucesso: humor e romance é igual a livro cativante.
Outro ponto interessante é que além da curiosidade natural do leitor de conhecer o resto da família, mas adorada de Londres a autora trabalha com o elemento da curiosidade. Afinal quem é a misteriosa Lady Whistledown. Tão próxima dos Bridgertons para sabre de tudo, mas ao mesmo tempo tão incólume pelas sombras do anonimato. Eu tenho algumas suspeitas, espero comprovar nos livros seguintes. Agora que venha Benedict...

12 comentários:

  1. Ah os Bridgertons, como não amar? <3
    Já li os três primeiros da série e esse é o meu favorito até agora, mas acredito que o do Colin vai ocupar seu lugar nos meus favoritos porque adoro ele rs.

    http://nerdicesdeumagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Você me faz babar com essas resenhas de livros que eu nem tinha a intenção de ler. Pode isso??

    Gostei muito!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Fiquei ansiando ler só por essa resenha. E olha que não sou muito fã de romances, mas romances de época é algo que me chama bastante a atenção.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 3 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir
  4. Aiii, Thaila, preciso ler essa série com urgência. Desse ano não passa!!!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela resenha Thaila! Estou ansiosa para ler O Duque e Eu e O Visconde que me Amava! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  6. Todos falam que o ponto forte desse livro é a parte humorada. Nunca li nada da Julia, mas quero muito. Achei super interessante e cada vez que leio uma resenha sobre esse livro fico com ainda mais vontade de ler.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  7. Quando li esse trecho da resenha "Um Bridgerton merece uma mocinha bem petulante, divertida e que mostre a Anthony como viver a vida de forma mais leve.." me peguei rindo sozinha. É exatamente isso que penso. Esse foi, até aqui, a história dos Bridgertons que mais gostei e a Kate é incrível!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Oi, Thaila!

    Ah, eu sou apaixonada pelos Bridgertons! Já li os quatro primeiros livros e até agora não me decepcionei com nenhum! São leituras levinhas, inteligentes e engraçadas ao mesmo tempo! Além dos casais super especiais, tentar descobrir quem é a misteriosa Lady Whistledown é super divertido! Sempre dou risadas com os escritos dela!

    Um beijo,
    Inara
    www.casinhaarrumada.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Thaila, amei sua resenha, me fez ter saudade dos personagens, esse livro é tão fofo, quando eu li me diverti demais, preciso ler o terceiro da série, adoro a Julia Quinn.
    Parabéns pela resenha.

    Beijos!!!
    @jannagranado
    @lpdiversao
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Os Bridgertons é uma das melhores séries de época que já tive o prazer de ler.
    Adoro esta família e estou apaixonada pela escrita da Julia Quinn, que me lembra de certa maneira o jeito de Jane Austen, minha autora preferida. Ótima resenha flor.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá Thaila,

    Só leio resenhas positivas desses romances de época da arqueiro e espero futuramente ler, vejo pela sua resenha que são ótimos.....bjs.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi Thai,
    Só leio comentários e resenhas positivas sobre essa série! Preciso começar logo, ai meu Deus, quero amar os Bridgertons também!
    Adorei a resenha e o quote que você separou pra nós
    Beijos
    Chrys Audi
    www.todasascoisasdomeumundo.com.br

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela será muito bem vinda e levada em consideração para promover melhorias!

 

felicidade em livros 2013 - 2015 * Template by Ipietoon Cute Blog Design Modificado por Fabiana Correa