Resenha Pulsação




Pulsação
Tensão - Livro 02
Tensão # 02
Gail McHugh
Arqueiro, 2015
Sinopse: Emily Cooper sempre pensou que iria se casar e viver ao lado de Dillon Parker. Porém, após conhecer Gavin Blake, toda essa certeza foi por água abaixo. Arrebatada pelo sexy empresário, ela se entregou a uma paixão avassaladora, mas que logo foi abalada por uma dolorosa revelação.
Mesmo com o fim do tórrido relacionamento, Emily percebe que está disposta a arriscar tudo para ficar com o homem que domina seus pensamentos e sonhos desde o dia em que se conheceram. Agora ela só pode se apegar à esperança de que Gavin ainda a deseje, apesar de todos os seus erros e defeitos.
Com o coração partido, Gavin se isola da sociedade e se fecha em um mundo autodestrutivo. Emily não está acostumada a ser forte, mas terá que encontrar dentro de si a coragem e a confiança necessárias para lutar por seu amor e trazer Gavin de volta.
Neste desfecho da série, os leitores ficarão ainda mais apaixonados por Emily e Gavin, envolvidos em uma jornada de perder o fôlego e acelerar a pulsação.

“Preciso da sua fé em tudo aquilo que estamos destinados a ser.”p. 264
Vou tentar o máximo possível falar sem dar spoilers, ok? Pra quem não leu, ou leu e não se lembra bem um pequeno resumo: Emily vem morar em Nova York em busca de um recomeço após a perda da mãe, apoiando-se em seu dominador namorado Dillon, entretanto por suas carências ela acaba perdoando e as falhas do companheiro, tudo muda quando Gavin Blake entra em cena, o charmoso empresário é amigo de Dillon, mas se vê em um conflito de interesses ao se apaixonar pela namorada e posteriormente noiva do amigo.
“Por favor, Gavin me perdoe por não lutar a nosso favor quando eu sabia que era pra gente ficar junto. Me perdoe por ser fraca. Mas, acima de tudo... obrigada por me amar. Obrigada por seu sorriso de covinhas e por suas tampinhas. Eu nunca mais vou conseguir olhar para uma sem pensar em você. Obrigada por seus Yankees idiotas e por suas observações espertinhas. Obrigada por querer fazer passeios de carro tarde da noite comigo e assistir ao por do sol. Obrigada por querer tudo comigo, o bom, o ruim e tudo o que há entre um e outro.” p. 20
No final muitas confusões e desencontros acontecem, clichê eu sei, mas deixa o leitor com aquela sensação de compartilhar com os personagens as emoções, nas páginas finais de Tensão Emily era uma bagunça completa, ela estava destruída  e mais uma vez optou pela solução que considerou a mais viável e magoou muitas pessoas, incluindo a si mesma.
Gavin, por outro lado, vive a verdadeira dor de corno se perdendo em luxuria e bebida, procurando de todas as formas esquecer Emily isolando-se do mundo que eles compartilharam sem saber que sua amada está em sua busca depois de perceber a burrada que fez. Só que não será tão fácil reconquistar um coração tão magoado, tanto Gavin quanto Emily precisam descobrir se o amor que dizem sentir um pelo outro é tão forte para superar todas as adversidades.
E é claro que Dillon-Babacão está de volta prometendo apimentar ainda mais as coisas, tendo por intuito transformar a vida deste casal em um verdadeiro inferno.
“A verdade é que o nosso amor não tem mais volta. Chega a ser assustador. Nos só tínhamos alguns detalhes para ajustar. Não, na opinião de algumas pessoas, a forma como começamos a namorar não foi correta, mas eu não me importo. E tenho certeza que a mulher sentada ao meu lado também não. Estamos apaixonados. É um amor profundo e doentio, do tipo que aparece em filmes. Encaramos o medo e o mandamos dar o fora.” p. 206
Eu não gostei de Emily em Tensão, a achei fraca e mau construída, ao ponto de ser um verdadeiro pé no saco, mas em Pulsação, todo o seu sofrimento começa a alimentar uma forte determinação e uma Emily mais confiante começa a surgir, é um processo bem lento e gradativo, mas nas páginas finais pude ver que ela finalmente aceitaria que tem o direito de ser feliz, é claro que o amor de Gavin tem grande participação nesse processo porque é ele que é o cara que a coloca pra cima, que lhe é fiel, cuidadoso e extremamente preocupado com seu bem estar, tudo isso atrelado à uma família amorosa e amigos preocupados com ela fazem com que ela comece a cicatrizar feridas que vem antes da era Dillon.
“Eu nem sei como agradecer, Gavin. Você me aceitou com cada fraqueza e fragilidade minha, sem me amar menos do que a uma mulher sem defeitos. Uma mulher sem medos. Cada um dos seus olhares, cada um dos seus toques e beijos foi dado sem nenhum julgamento. Você curou cada ferida exposta, cicatriz antiga e bocadinho de dor que eu trouxe para este relacionamento. Você me mostrou o que é um coração descompassado, me mostrou que meros pensamentos podiam ser detidos com um único beijo. Você me mostrou o que é ser amada de verdade, de todo o coração e até o fim dos tempos.” p. 250
Quem continua o amor da minha vida, amo mais que chocolate, quero um pra mim no natal é Gavin, o delicia, ele não é só beleza, mas reúne outras qualidades que fazem deste personagem tão cativante: ele é sincero, se preocupa com o bem estar, mima e zela pela felicidade de sua parceira, ele é um verdadeiro companheiro, é a formula para um homem perfeito e poxa ele não tem vergonha de dizer que ama e ta sofrendo pela pessoa amada, é muito, com o perdão da palavra, tesão por um personagem só! Piriguetagem literária rolando solta aqui!
Tem momentos em que a autora faz com que o coração do leitor fique na mão de tanta angustia, e mesmo com as melhoras significativas de um livro para o outro ainda creio que mereça uma construção de enredo melhorada, mais trabalhadas nas questões chaves que trariam mais emoção e verossimilhança com a realidade que traria maiores considerações emocionais a trama. Por contar uma história de amor o livro é dez, pelas outras questões que vão além do relacionamento de Gavin e Emily eu esperava melhor dilapidação, finalizo essa duologia e espero ter mais livros da autora sendo lançados no Brasil, até para um comparativo dos enredos.

Harlequin lança...



Novembro nem chegou, mas a Harlequin já te dá motivos de sobra pra correr até as bancas e adquirir seus romances:
Dos 16 lançamentos veja abaixo os grandes destaques:
Lançamento Coleção Belas e Feras edição 1 e2.
“Belas & Feras 1” das autoras Lynne Grahan e Kate Walker e “Belas & Feras 2” das autoras Sara Craven e Day Leclaire.
Primeiros Sucessos  traz Sherryl Woods e Linda Howard com “O presente ideal + Pequeno milagre”.
Harlequin Special traz “Noites de esperança” da autora Susan Meier.
 TERRI BRISBIN está em Harlequin Históricos com “Coração Honrado”.
Final da serie “Clube dos milionários” em Desejo Dueto. 
Dá só uma olhada nas capas:


Apaixonou, né? Então corre lá no Pinterest da editora e confere todas as sinopses!
Ah, e tem mais: confere só algumas promos que vão rolar nas bancas de todo o país e no site da Harlequin:




Prepara-se para muito romance. E ai qual as suas escolhas do mês? Eu já fiz as minhas!

Resenha Tensão





   Tensão
    Tensão - Livro 01
Gail McHugh
Arqueiro, 2015

Sinopse: Após a morte da mãe, a vida de Emily Cooper vira de cabeça para baixo. Ela precisa de um novo começo, e Dillon Parker, seu namorado, a convence a se mudar para mais perto dele a fim de passarem mais tempo juntos.
Em Nova York, Emily arranja um emprego temporário como garçonete em um restaurante no centro de Manhattan. Ao sair para fazer uma entrega logo no primeiro dia de trabalho, ela esbarra em Gavin Blake, um empresário sexy e bem-sucedido. Assim que seus olhares se encontram, há uma tensão no ar, mas nenhum dos dois consegue entender ou explicar essa forte conexão. Atormentada, Emily tenta não pensar muito naquele desconhecido que mexeu tanto com ela.
Porém, ela descobre que Dillon e Gavin são amigos e que terá de conviver com ele muito mais do que poderia ter imaginado. Perdida em sentimentos confusos, Emily sente o desejo por Gavin crescer e se tornar mais ardente a cada vez que se encontram. Será que os dois vão resistir à tensão ou se entregar a essa paixão, apesar de todas as consequências?


"Era como se, toda vez que eles se encontravam, ocorresse um paradoxo distorcido: por mais que sentisse necessidade de fugir, Emily também sentia-se inegavelmente atraída por ele." - Página 137

A morte da mãe de Emily e sua fragilidade emocional a jogaram nos braços do namorado Dillon e na grande Nova York, uma mudança enorme para uma menina da Carolina do Norte, mas ela precisa de um recomeço e seu amado e confiável namorado oferecia isso, esta também seria a chance de Emily viver próxima a sua melhor amiga Olivia e ingressar em sua carreira como professora.
Como toda a garota que precisa de um trabalho após a faculdade, ela trabalha em um restaurante como garçonete e um verdadeiro acaso a leva para junto de Gavin Blake, um homem sedutor, que esta acostumado a ter as mais belas mulheres ao seu lado e em sua cama, mas não se fixar permanentemente em nenhuma delas até que seus olhos se conectam aos de Emily.

“Ela esta em algum lugar por ai, meu filho, e quando você a encontrar, saberá no instante em que a vir. Ela atrairá todos os seus instintos. Sem o menor respeito pela ordem natural das coisas, ela simplesmente... vai parecer” p. 52

Quando Gavin se revela na verdade como um sócio e amigo de Dillon tudo se complica, afinal a atração entre eles é quase palpável e com cada vez mais acasos os aproximando a história fica com toda certeza tensa!

“Acho que estou me apaixonando por ela.”
[...]
“Você tem consciência que Dillon é nosso amigo, não tem?”
[...]
“Como você foi se apaixonar pela namorada de um amigo nosso.” P. 171

Prepare-se para uma trama que tem muitas semelhanças com a realidade como o alcoolismo, machismo, intolerância, manipulação e ao mesmo tempo trabalha a fragilidade perante a dor e também prepare-se: tem triângulo amoroso!
Emily é uma personagem irritante, pois apesar dela viver um drama que muitas mulheres também vivem a autora não conseguiu trabalhá-la da forma que esperava, tornando-a muito irreal, sou curta e grossa, sua dependência de um relacionamento visivelmente destrutivo e ao mesmo tempo sua indecisão por qual caminho seguir me fizeram querer entrar na história só pra poder dar uns sopapos nela, ela perdoa tudo, é uma completa cega, surda e muda para as ações de Dillon, mas não consegue realmente amá-lo, em contramão Gavin lhe oferece tudo: céus e terra, física e emocionalmente e ela simplesmente ainda fica indecisa, agarrando-se a um passado doloroso e um porto seguro instável.
Mas um nome muda toda essa história que prometia ser enfadonha e salvou a história: Gavin Blake! Gavin, Gavin, Gavin! Me escolhe, larga mão dessa chorona!
Imagine a situação, seu livro de parceria chega, você é solteira e como não vai sair no final de semana decide ler e esquecer aquele crush que te deixou na bad e eis que você pega Tensão, de Gail MCHugh e ai meu Deus que tensão! Alguém ai ainda lembra do crush maldito depois de conhecer Gavin Blake?
O que dizer de Gavin? Gente ele me quebrou as duas pernas, cai de amores por ele, além de ser o senhor Bonitão, musculoso e o delírio de qualquer mulher a devoção dele por Emily coloca qualquer um no chinelo. O homem é um romântico nato, tem o dom de encantar pelas palavras e ações, tipo ele é aquele personagem que te faz babar, mas que te faz pensar que precisa dar um tempo nesse tipo de leitura e parar de sonhar com um desse pra mim, porque gente cobiçar é pecado, mesmo que seja uma cobiça literária.
Outra personagem simplesmente I-N-C-R-I-V-E-L é Olivia, ela é a melhor amiga de Emily e assim como eu não gostou nenhum pouco de Dillon e não tem papas na língua e rasga o verbo pra cima do sujeito, então prepare-se para rir de seu jeito desbocado e maluco de ser, ela é o alto astral da história!
Gavin Blake me mostrou uma coisa: não quero me contentar com um amor que seja menos daquele que ele sente por Emily, mas antes que digam “oh doida, isso é ficção”, quero dizer que quero a mesma dedicação, o mesmo brilho no olhar, o mesmo poder de que com apenas um gesto este cara seja capaz de virar o meu mundo de cabeça pra baixo e saber que eu exerço esse mesmo poder por alguém é uma das sensações mais poderosas do mundo. Tensão é o nome que mais vem a calhar para o livro, não só pela clara tensão sexual que o livro propõe, mas o leitor fica tenso, torcendo, brigando, lutando com sentimentos e personagens, é claro que fica o aviso: prepararem-se para o mimimi, mas Gavin é bom demais e dá pra superar.

Resenha Encontrando-me




Encontrando-me
Losing It Livro 3/3
Cora Carmack
Novo Conceito, 2015
Sinopse: A maioria das garotas mataria para passar meses viajando pela Europa após a formatura da faculdade, sem responsabilidade, sem os pais e sem limite nos cartões de crédito. Kelsey Summers não é exceção. Ela está tendo o momento de sua vida... ou isso é o que ela continua dizendo a si mesma.
É um negócio solitário, pois está tentando descobrir quem ela é, especialmente porque está com medo de não gostar do que pode encontrar. Nenhuma quantidade de bebida ou dança pode afugentar a solidão de Kelsey, mas talvez Jackson Hunt possa. Depois de alguns encontros casuais, ele a convence a fazer uma viagem de aventura ao invés de ficar bebendo. A cada nova cidade e experiencia, a mente de Kelsey se torna um pouco mais clara, e seu coração menos. Hunt ajuda a desvendar seus próprios sonhos e desejos, mas quanto mais ela conhece sobre si mesma, mais percebe o quão pouco ela sabe sobre ele.

Estava bem ansiosa para ler este livro, não só porque ele fecha a trilogia, mas por ter gostado tanto dos outros dois coloquei muitas expectativas neste volume e afirmo que todas foram supridas.
“O melhor da vida é aquilo que não podemos planejar. E é muito mais difícil encontrar felicidade quando se procura num só lugar. Às vezes, você simplesmente tem que se livrar do mapa. Admitir que você não sabe onde está indo e deixar de se pressionar para descobrir. Além disso... um  mapa é uma vida que outra pessoa já viveu. É mais divertido criar o seu próprio mapa.” p. 126
Kelsey é uma jovem recém formada e como tantos outros na mesma situação se vêm sem perspectivas promissoras, o mundo adulto pode e é assustador, só que nossa protagonista tem um trunfo na mão: dinheiro, por isso parte sem rumo para a Europa, em busca de diversão e quem sabe se encontrar de verdade.
Só que ela esta fazendo do jeito errado, se afogando em álcool e envolvimentos casuais, tudo na tentativa infundada de tirar de si a dor que carrega a anos e mostrar quem sabe a si mesma que é a jovem rebelde que é.
Numa dessas suas incursões noturnas ela conhece o misterioso e atrevido Hunt, que parece não ceder ao seu charme e muito menos a sua língua ferina. Ele também tem seus mistérios e não esta disposto a dividi-los.
Quando uma serie de acasos, não tão casuais assim começam a acontecer e eis que Hunt esta sempre no caminho de Kelsey, eles assumem juntos o compromisso de ir em busca de aventuras pela Europa, sem mapas ou roteiros, apenas seguindo instintos, fortalecendo os vínculos de amizade (a ta!).
Conheci a Europa pelos olhos de Kelsey e Hunt ao mesmo tempo em que me deliciei nesse jogo de sedução que ela bolou para atraí-lo para sua cama. Mas conforme o tempo passa fica difícil saber quem seduz quem.
Eu me identifiquei muito com a Kelsey em seus medos após a faculdade, eu assim como ela me senti estagnada nos primeiros meses, sem conseguir definir minha situação profissional enquanto via as pessoas ao meu redor progredindo, sim é desesperador, também assumo que não gostei muito dela de cara também por se aficionar tanto à bebida, fazer deste seu bote salva-vidas, quando na verdade só estava afundando mais e mais, a julguei pelo principio de achá-la egoísta, mas Cora deu um verdadeiro show ao transformar essa anti heroína em uma personagem tão cativante e fortalecida por seus dramas.
“Todos os meus amigos estavam por ai, perseguindo seus sonhos, vivenciando o futuro, e eu só desejava querer alguma coisa com aquela espécie de ansiedade, de fogo. Eu era uma atriz. Passara metade da vida interpretando uma personagem, estudando seus desejos, descobrindo o que a motivava. Mas, meu Deus, eu era incapaz de fazer o mesmo para mim mesma. Fazia muito tempo desde que me permiti desejar algo o bastante para buscá-lo.” p. 30
Ah e Hunt? Desse jeito fica difícil arrumar um boy real com tantos maravilhosos na literatura, ele ganha o prêmio máster boy! Ele é um verdadeiro príncipe encantado, ele também tem seus perrengues, mas confessa, um boy desses pra consolar é tudo de bom.
As frases do texto são lindas também, reflexivas, apaixonantes, vou deixar uma das minhas preferidas:
“Quando se ama alguém, ama de verdade, o amor é uma marca duradoura em sua alma. Você tem um cadeado no coração que levará consigo para sempre. Você pode perder a chave ou jogá-la fora, mas o cadeado permanece com você mesmo assim.” p. 190
Ta bem, assumo, tem clichês e não é fácil ser surpreendido pela história, afinal nós somos leitores e ótimos na hora de decifrar o futuro dos personagens, mas confesso que mesmo com todos os clichês é impossível desgrudar do livro, dos três que solicitei este foi o primeiro que li exatamente por já conhecer o jeito fluido de Cora de escrever e por saber que eu me jogo de cabeça nas histórias dela, é uma leitura leve, agradável e perfeita para qualquer hora.
Dos três volumes é o meu preferido, não só pela identificação em parte, mas pela carga dramática que deu mais eloquência a trama, para mim Cora escreveu de jovens para jovens, dando pequenos e metafóricos conselhos, deixando claro que devem seguir seus sonhos e nunca parar por uma adversidade, mas não encontrar refugio em prazeres fugazes que não curam a causa, só o efeito do mau, como é o caso de Kelsey e a bebida, ela tentava preencher um vazio, mas tudo que conseguia era se sentir pior após o topor. Volto a frisar que a autora consegue agradar em cada página, o titulo vem super a calhar tanto Kelsey quanto Hunt precisam se encontrar: encontrar a paz, o amor, a felicidade, se encontrar dentro de si mesmo. Recomendo demais!
 

felicidade em livros 2013 - 2015 * Template by Ipietoon Cute Blog Design Modificado por Fabiana Correa