Resenha O Bangalô





O Bangalô
Quanto tempo você está disposto a esperar por sua felicidade?
Sarah Jio
Novo Conceito, 2015
Sinopse: Verão de 1942. Anne tem tudo o que uma garota de sua idade almeja: família e noivo bem-sucedidos.
No entanto, ela não se sente feliz com o rumo que sua vida está tomando. Recém-formada em enfermagem e vivendo em um mundo devastado pelos horrores da Segunda Guerra Mundial, Anne, juntamente com sua melhor amiga, decide se alistar para servir seu país como enfermeira em Bora Bora.
Lá ela se depara com outra realidade, uma vida simples e responsabilidades que não estava acostumada. Mas, também, conhece o verdadeiro amor nos braços de Westry, um soldado sensível e carinhoso.
O esconderijo de amor de Anne e Westry é um bangalô abandonado, e eles vivem os melhores momentos de suas vidas... Até testemunharem um assassinato brutal nos arredores do bangalô que mudará o rumo desta história.
A ilha, de alguma forma, transforma a vida das pessoas, e este livro certamente transformará você.

“Estamos todas fugindo ou tentando encontrar alguma coisa.” p. 60

Anne Calloway dos anos 40 é uma jovem enfermeira recém formada que no auge da 2ª guerra junta-se a sua melhor amiga Kitty e parte para Bora Bora, para servir ao país oferecendo seus trabalhos médicos para cuidar dos feridos. O que poucos sabem e nem mesmo Anne gosta de admitir é que ela está fugindo, fugindo do noivo que não sabe se realmente ama e postergando um pouco mais seu destino: dona de casa, organizadora de eventos sociais e mãe em tempo integral, por conta dessa percepção e comodismo ela tem uma versão meio cética em relação ao amor.

“Não acredito em conto de fadas, ou em cavaleiros com armaduras brilhantes. Acredito que o amor seja uma escolha. Conhece-se alguém. Gosta-se de alguém. Decide-se por amá-lo. Simples assim.” p. 23

Esse ceticismo bate de frente com o jeito de sua melhor amiga pensar no amor , enquanto Kitty é espalhafatosa, gosta da atenção masculina e crê que tem a sedução sempre ao seu lado, Anne é mais reservada, tímida e em meio ao paradisíaco lugar não se esquece da guerra ou dos doentes que tem que ajudar.
Quando Anne conhece Westry algo nele faz com que ela se sinta viva, pela primeira vez ela se vê apaixonando-se por alguém de forma irremediável, juntos eles compartilham um bangalô, um pequeno casebre que protege esse romance dos olhos do mundo e por si só já guarda seus próprios segredos.
Claro que nem tudo são flores, além de estarem em constantes perigos por conta da guerra, as questões morais do relacionamento de Westry e Anne começam a abater a moça, uma vez que ela saiu de Seattle noiva, ao mesmo tempo sua amiga Kitty começa a ter seus próprios segredos e a vida no paraíso de águas limpas e areia branca começa a se mostrar mais aterrorizante com o assassinato de uma nativa e as suspeitas de quem teria cometido tal atrocidade. Tudo isso pode colaborar ou finalizar a história de amor de Anne e Westry.

“Segurou-me em seus braços, me embalando. Vinte e sete de novembro. Era uma data sem importância, apenas um pontinho no calendário. Mas também foi o dia que mudou minha vida: o dia em que eu comecei a amar Westry.” p. 121

A Anne de atualmente é uma senhora que vive de lembranças e escolhas, ao mesmo tempo assombrada e companheira do passado e que por um dever moral deve voltar para a ilha de Bora Bora e finalmente finalizar pendências.
O livro é lindo, Sarah sabe criar uma história, a trama é bem peculiar e já conta com os trejeitos da autora: histórias com pequenas pistas e um leve mistério que eu tanto curto! É pra ir se encantando aos poucos, a história se passa quase que totalmente no passado, contada pelas memórias de uma senhora, como suas lembranças fossem folhas de diários sãos quais temos o privilégio de ler.
O bangalô é uma história triste e feliz ao mesmo tempo, traduzindo os horrores de uma guerra sob o olhar de um amor que floresce e permanece para além das adversidades. É uma história que conquista pela singeleza, recomendada a todos que sonhem com um amor tão grandioso.

Harlequin lança...



O último mês do ano ainda nem chegou e  a Harlequin já é dá muitos motivos pra escrever pro Papai Noel, a seleção veio recheada de delicias que são a cara de dezembro! Para fechar o ano com chave de ouro, a Harlequin traz muitas novidades para encher seu final de ano com muito romance.


Dos 14 lançamentos veja abaixo os grandes destaques: 

- –Lançamento Coleção Traição.
–Primeiros Sucessos traz Lori Foster com “Desafio”.
- –Rainhas do Romance traz “Um lugar para o desejo” da autora Sheryl Woods.
- Denise Lynn está em Harlequin Históricos com “Cativa do guerreiro". 
- Flor da pele com “Submissa + Dominadora + Aprisionada” de Tifanny Reisz, Lisa Renee Jones e Portia da Costa. 



Conheça mais dos meus favoritos do mês:
Claro que estas são apenas pequenos aperitivos, a seleção completa de sinopses você confere em:
Faço do blog a voz da editora e fica aqui o desejo da Harlequin
 


Resenha O Plano Perfeito





O Clube do Livro de novembro lançou um desafio: ler um livro policial! Bora mostrar um dos meus autores favoritos no ramo, um dos poucos, mas que pouca gente sabe, então hoje quis trazer um livro que li há algum tempo e reli recentemente e que se mostra perfeito do titulo à última página.

 
O Plano Perfeito
Sidney Sheldon
Record, 1998
Sinopse: Para Oliver Russell, não existe prazer que se compare à sensação de poder. Mas quando chegar à Presidência dos Estados Unidos, saberá que poucas coisas podem ser mais devastadoras para as suas ambições políticas que o desejo de vingança de uma mulher traída. O plano perfeito narra a história de paixão, poder, traição e desforra envolvendo a publicitária Leslie Stewart e Russell, que a abandonara para se casar às escondidas com a filha de um senador influente do Kentucky, estado pelo qual se candidatou ao governo.
ARRASOU!
Não tem como descrever de outra forma reler este livro! Surpreendente de muitas formas “O Plano Perfeito” conta a história de Leslie, uma jovem publicitária de muitos sonhos, entre eles se casar com Oliver o seu grande amor, mas toda a sua ingenuidade vai por água abaixo quando o noivo a troca pela filha de um importante senador que oferece aquilo que Oliver mais quer: poder!
Oliver, ambicioso como só troca amor por ambição e embarca em um importante e imponente jogo: a carreira presidencial. Só que uma mulher traída sempre é um perigo, ela o fará comer o pão que o diabo amassou, arruinando dia por dia daquele que foi seu grande amor, quando chega em suas mãos um verdadeiro escândalo ela começa a ter nas mãos e na mente a vingança perfeita: fazer o ex amargurar o dia em que nasceu.
“Foi um lindo casamento. A esposa de Oliver é muito bonita. Usava um lindo vestido de noiva branco, em renda e cetim, com uma blusa frente única e um bolero. Oliver parecia mais bonito do nunca. E dava a impressão de estar muito feliz. Eu me sinto satisfeita.”
“Porque antes de acabar com ele, vou fazê-lo desejar nunca ter nascido.” p. 31

No meio do caminho a jornalista da Dana se envolve em todo esse mar de lama e amargor, para mostrar a verdade, seja ela qual for.
Eu tenho um lado meio sádico que aprova a vingança de Leslie, afinal o cara pisou na bola com ela e bem feio, ele a trocou pela filhinha do senador quando já estava tudo pronto pro casamento dos dois, ele a abandonou no altar, principalmente depois de tanta ilusão, de palavras bonitas de fazer com que eu também me apaixonasse por ele. PQP! Eu fico mesmo do lado da mulher traída, a dor de ser corna é pesada, minha gente! Pena que ela se cegou e acabou deixando a passionalidade interferir no que poderia ser seu plano perfeito, agora tanto ela quanto Oliver se vêem uma corda bamba, só a espera do próximo deslize, pois quem deslizar sairá perdendo... e muito!
Antes companheiros no amor, agora de lados opostos! Eletrizante...
Tem um pouco de tudo na trama: a corrida pelo poder, por informações que possam destruir uma pessoa e ao mesmo tempo o poder das palavras, o universo perverso da política e da imprensa milimetricamente elaborado, a busca por vingança de uma mulher extremamente inteligente movida por um sentimento destruidor como a raiva, os segredos de um homem importante, o jogo de aparências e muito mistério no ar faz com que você fique presa página a página, sem querer largar. Eu sou a primeira a dizer que não curto, mimimi pra lá, mimimi pra cá, mas não tem como não gostar! Sidney te faz viajar pelo mundo das palavras, das ações e mais ainda das conjecturas, porque é impossível ler e não ir elaborando hipóteses, mas é um daqueles livros que você só decifra no fim e é muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito bom! Foi ótimo voltar a ler Sidney Sheldon porque ele é um autor que sabe escrever e sabe te fazer viver pela história dele

 

felicidade em livros 2013 - 2015 * Template by Ipietoon Cute Blog Design Modificado por Fabiana Correa