Resenha Uma Noite Inesquecível




Uma Noite Inesquecível
As Quatro Estações do Amor # 4.5
Lisa Kleypas
Arqueiro, 2017

Sinopse: O Natal está se aproximando e Rafe Bowman acaba de chegar a Londres para uma união arranjada com Natalie Blandford. Com sua beleza estonteante e o físico imponente, ele tem certeza de que a linda aristocrata logo cairá a seus pés.
No entanto, seus terríveis modos americanos e sua péssima reputação de farrista deixam Hannah, a prima da moça, chocada. Determinada a proteger Natalie, ela vai tornar a tarefa de cortejar a jovem muito mais difícil do que Rafe esperava.
Hannah, porém, logo começa a se importar mais do que gostaria com o rude pretendente da prima. Rafe, por sua vez, passa a apreciar um pouco demais a companhia de Hannah, uma mulher forte e pragmática com um coração doce e gentil. E quando Daisy, Lillian, Annabelle e Evie, quatro amigas inseparáveis que já conseguiram encontrar o homem de seus sonhos, decidem agir como cupidos, quem sabe o que pode acontecer?
Uma noite inesquecível é uma viagem mágica pela Londres vitoriana, com os diálogos espirituosos e personagens memoráveis que consagraram Lisa Kleypas como uma das autoras de romances de época mais aclamadas pelo público. Nesta continuação da série As Quatro Estações do Amor, os mais cínicos se tornam românticos e até os mais tímidos suspiram, arrebatados de paixão.


Ah! Eu já estava com saudade! Saudade das flores e dos romances da Lisa!
Aquela história que você não quer que acabe...

Rafe é um canalha e não se envergonha disso! E depois de muito brigar com o pai ele quer dar uma trégua e assumir parte dos negócios da saboaria da família, mas o velho senhor Bowman tem uma condição: que ele se case com a aristocrata Natalie, firmando assim a linhagem entre a nobreza e a riqueza que tanto interessava o velho patriarca.

Nada convencida dessa história esta Hannah, uma moça humilde, a parente pobre da família que além de tudo é a acompanhante de Natalie e quer zelar pelo bem estar da prima, acreditando que um homem como Rafe a destruiria.

Rafe  e Hannah são o contrapeso perfeito, os diálogos, as interações, as farpas trocadas, tudo entre eles tem química. Se no começo achei que Hannah seria uma personagem fácil de apagar e que teria que ralar muito para ganhar destaque em meio as “Flores Secas” devo dizer que me enganei completamente, ela super se encaixou no grupo e nas características das quatro amigas que muito foram companheiras nas horas de leitura. É como se Hannah trouxesse o melhor de Annabelle, Evie, Lillian e Daisy para si.

Falando nas quatro amigas, foi um prazer reencontrá-las nessa história, mesmo que brevemente, foi ótimo acompanhá-las um pouquinho mais em seus respectivos “felizes para sempre”. Um adendo: mesmo sendo parte da série “Uma noite inesquecível” é perfeitamente um livro único, as aparições das personagens anteriores foram bem incorporadas ao enredo da trama, sendo de fácil entendimento para quem não leu os anteriores (entretanto, leiam porque são bons demais!)

Também tive minhas reservas com Rafe, ele demorou um pouquinho para me conquistar! Isso porque seu lado farrista e um tanto cínico me incomodaram um pouco, mas quem disse que o charme dele não curou tudo isso? Conhecê-lo foi um prazer, adorá-lo uma necessidade.
 O livro é curtinho, confesso que amaria mais e mais páginas para adorar a história, mas a meu ver a brevidade não atrapalhou em nada, foi uma história com começo, meio e fim muito bem construídos e que cumprem seu papel de entreter, apaixonar e fazer suspirar. Tem aquele toque humorístico de Lisa que tanto amo, tem a sensualidade na medida certa. Meus olhos brilharam lendo esse livro, sério galera, eu me vi encantada, enternecida pela trama e mais uma vez fisgada desde a primeira página!

Não poderia haver fechamento melhor e uma construção temporal mais capciosa para o livro: a magia do natal, dos amores impetuosos. Lisa Kleypas cravou mais um espacinho no meu coração literário!

Resenha O Jogo





O Jogo
Amores Improváveis # 3
Elle Kennedy
Paralela, 2017
Sinopse: Talentoso, inteligente e festeiro, Dean Di Laurentis sempre consegue o que quer. Sexo, notas altas, sexo, reconhecimento, sexo… É sem dúvida um galanteador de primeira, e ainda está para encontrar uma mulher imune ao seu charme descontraído e seu jeito alegre de encarar a vida. Isto é, até ele se envolver com Allie Hayes. Em uma única noite, essa jovem atriz cheia de personalidade virou o mundo de Dean de cabeça para baixo. E agora ela quer que eles sejam apenas amigos? Dean adora um desafio, e não vai medir esforços para convencer essa mulher tão linda quanto teimosa de que uma vez não é suficiente. Mas o que começa como um simples jogo de sedução logo se torna a experiência mais incrível e surpreendente de sua vida. Afinal, quem disse que sexo, amizade e amor não podem andar de mãos dadas?

Dean Di Laurentis, o senhor pegador para ser mais clara! Dean é a personificação do cara bam-bam-bam: jogador, gostosão, pegador geral. Aquele que não consegue manter o zíper fechado e que esta sempre atrás de um rabo de saia, completamente avesso ao compromisso Dean é aquele personagem clássico: o boa vida mulherengo que se acha bastante.

Do outro lado temos Allie, o oposto de Dean, a menina que vive para o compromisso, andar de mãos dadas e namoro no sofá. Ambos já são conhecidos para quem acompanha a série. Ele é o melhor amigo de Garrett e da turma do hóquei e ela a melhor amiga de Hannah, namorada de Garrett. Allie esta passando por um término conturbado e Dean foi um ótimo consolo, mas dois opostos tão improváveis não podem estar em sintonia!

O livro é bem desbocado, mas isso não me incomodou até pelo fato de que isso combina com a personalidade de Dean, não creio que combinaria medir a língua para escrever um livro em que o foco principal é Dean sem trazer essas marcas tão presentes na personalidade dele.

Allie por outro lado é uma personagem com a qual me identifiquei muito, tanto pela fragilidade dela emocional, esse relacionamento ioiô que ela tinha com o namorado, tudo o que ela passa é bem real.

Agradeço também a Elle por ter amadurecido o Dean ao longo da trama, pois realmente tanta imaturidade e arrogância da “vida perfeita do Dean” seria extremamente cansativa para a trama. A evolução dele e esse autoconhecimento que ele vai adquirindo me surpreendeu e agradou. 

Eu fiquei e muito chocada com a parte final, o cume do “crec”emocional de amadurecimento do Dean, fiquei realmente em choque e esse é o primeiro livro da série que me faz chorar. Puxando esse gancho, é interessante ressaltar que as tramas de ele sempre tem mais do que um new adult, elas trazem questões e situações cotidianas para que sejam refletidas e que nós enquanto leitores possamos ter um debate com os personagens, eu gosto desse movimento que isso dá para a trama.

Outro fato que movimenta a trama são os capítulos alternados que eu adoro, pois assim posso conhecer mais dos personagens e das situações que vivenciam, bem como seus pensamentos. É uma delicia reencontrar os personagens dos livros anteriores em um ambiente de tanta camaradagem e diversão, além disso nesse livro temos uma breve mas impactante aparição de Summer Di Laurentis, irmã de Dean que tal como o irmão curte a vida adoidado e eu adoraria que ela tivesse um livro só dela, pois já imagino mil e uma confusões.

Divertido, cheio de boas piadas e situações cômicas Elle consegue dosar o romance, o sexo e o cotidiano universitário de uma maneira bem contextualizada e interessante, a trama é fluida e mais uma vez cativante, é uma trama pra guardar na memória!

[Respondendo tag]RBD



Como diria Astrid Fontenelle “Salve, salve simpatia!”

Eu adorei essa tag maravilinda que vi no blog “O que tem na nossa estante” e apesar de não responder muitas tags aqui no blog essa é uma necessidade! Afinal, tem por base o repertório da mais top banda do mundo inteiro: RBD!


1) Rebelde: Um livro/série que todo mundo ama, menos você
Gente sem apedrejamento ai, mas a história do bruxinho Harry Potter que comemora 20 anos de existência realmente não me atrai, apesar da legião de fãs o enredo fantástico da trama nunca me chamou a atenção.


2) Solo Quédate En Silencio: um livro cujo final te deixou atônito
Difícil escolher um só, afinal vira e mexe sempre tem aquele livro surpreendente rolando por ai, chegando-chegando da minha vida literária, mas perguntando em voz alta para mim mesma, a resposta foi “O Rouxinol” da Kristin Hannah.


3) Sálvame: Um livro que acabou sendo uma fria da qual você gostaria de ter sido salvo
E o prêmio vai para.... “O lugar da Felicidade”, o único livro que me lembro de ter abandonado!


4) Enseñame: Um livro que você se esforçou ao máximo para gostar, mas não rolou de jeito nenhum
Essa é a pergunta mais difícil até agora, até porque não tem resposta produção! Numa escala intermediária esta “Como se apaixonar” da diviníssima Cecelia Ahern (pode lançar livro novo, querida! Tenho saudades). Na trama em questão, os personagens demoraram para ganhar minha atenção e me cativar, dessa forma foi uma leitura mais arrastada.


5) Este Corazón: Um livro que tenha roubado o seu coração
Não um livro, mas sim uma série: Os Hathaways, Lisa Kleypas! Impossível não amar essa autora e esses personagens, amor demais!


6) Santa No Soy: O livro mais safado que você já leu
Não leio eróticos muito pesados, mas a trilogia 50 tons merece o prêmio, vai!


7) Aún Hay Algo: um livro/série que você desistiu de ler, mas que, vira e mexe, a vontade volta // um livro/série que você abandonou, mas que, vira e mexe, bate a vontade de retomar
Eu ainda terminarei “Um dia” e como o próprio nome diz, será um dia (trocadilho bob, vou tomar meu remédio kkk, juro), a trama é lenta, mas eu estou curiosa pelos encontros e desencontros de Dexter e Emma.


8) Inalcanzable: Um livro que está na sua wishlist há muito tempo, mas que você, por algum motivo, acaba nunca comprando
Por motivo de “terei-que-vender-um-rim-pra-te-comprar”
O prêmio vai para os livros da diva Cally Taylor, as premissas engraçadas e enredos mirabolantes tornam os livros da autora queridinhos para mim, mas ainda não consegui comprar!


9) Una Canción: Uma música que te remete a algum livro específico
Quando eu ouço “No today” do Imagine Dragons, por motivos óbvios me vem na cabeça “Como eu era antes de você”, pensa num livro e numa música maravilhoso!


10) Así Soy Yo: Um protagonista com quem você se identifica
Eu sou completamente Emma Corrigan! Faladeira, divertida, uma leve tendência ao drama, a queridinha das inimigas (olha eu que saidinha!)


Gente, eu amei essa tag, amei responder, amei esse post! Um dos mais felizes que já escrevi!!!!! Borá ouvir essa play list de músicas!

Resenha Futuro Roubado





Futuro Roubado
Paixão Edição 487
Lynne Graham
Harlequin, 2017
Sinopse: A única conexão que Jemima Barber possui com Julie, sua falecida irmã gêmea, é seu sobrinho. Por isso, quando o pai do menino aparece e ameaça tirá-lo de Jemima, a jovem decide se passar pela irmã e fazer de tudo para permanecer com a criança. Apesar de ela ser muito mais gentil do que Luciano Vitale se lembrava, ele está decidido a fazê-la pagar por ter roubado o seu filho… de uma forma extremamente prazerosa. Porém, Luciano logo descobre que Jemima é muito mais inocente do que poderia imaginar. Agora, ele tem outra proposta em mente: transformá-la em sua esposa.

 Quando Jemima assumiu seu sobrinho como seu filho ela não imaginava a confusão que estava por trás do nascimento da criança: sua falecida irmã gêmea havia aceitado ser barriga de aluguel de um homem rico e poderoso e acabou passando a perna nesse bonitão, então imaginem só um italianão raivoso!

Essa foi à primeira impressão que eu tive de Luciano, ele é autoritário e até mesmo um pouco brusco, obra dos protagonistas de Lynne, diga-se de passagem. Ele quer o filho, ele tem que ter o filho, afinal ele manda, ele pode, ele é ele.

Foi uma confusão de sentimentos essa leitura, me identifiquei com ela por causa do enredo, histórias com crianças e bebês me encantam de cara, me dão aquele sentimento de “quero ler”, mas tive receio por conta da autora. Eu não sou uma fã de Lynne, seus protagonistas sempre são apáticos demais, machistas demais, mas quis dar mesmo assim uma oportunidade para a história e para mim mesma.

Tá.... ele não sabia que ela não era a irmã do mal (aliás que clichê La Usurpadora, não?), mas naturalmente Luciano é intransigente e isso foi me dando uma preguiça, um desanimo.

Claro que passei raiva, Jemima segue o clássico padrão donzela sofredora, tão perdida em suas ações, coagida na fragilidade de sua vida que se tornou uma presa fácil para o jeito explosivo, machista e arrogante de Luciano. Apesar disso tudo, a única redenção que o Luciano tem comigo é o fato de amara desesperadamente esse filho, Nick, e o mesmo acontece com Jemima. Esse amor é o bálsamo que a história precisava e merecia.

Não, não é um daqueles livros que vou reler, mas exatamente por essa ternura de ambos, esse desarme dos personagens por conta do amor por Nick tornaram a trama um pouco aceitável. Volto a dizer, Lynne segue o padrão natural de suas tramas: mocinha apática, virginal, etc. que encontra um homem do qual ela vai “domar” exatamente por essa sua fragilidade, então se você lê livros da autora vai curtir bastante, pois já estará acostumado com o jeito dela enquanto escritora, se não é fã ou ainda não leu nada dela creio que terminará com a mesma instabilidade de sentimentos que eu ao finalizar a  leitura. 

Não terei que esquecer que li esse livro, mas também não me lembrarei com aquele entusiasmo da leitura, fato.

 

felicidade em livros 2013 - 2015 * Template by Ipietoon Cute Blog Design Modificado por Fabiana Correa