Duologia Agentes da Coroa, Julia Quinn



Oi gente! Foi divulgada a capa oficial do segundo livro da duologia “Agentes da Coroa” da querida Julia Quinn, o livro já vai ser lançado agora em setembro, mas ainda dá tempo de ter aquela ansiedadezinha pela trama. E eu que o diga! Tô doida pra ler, leiam a sinopse e apaixonem-se:



Sinopse: Elizabeth Hotchkiss precisa se casar com um homem rico, e bem rápido. Com três irmãos mais novos para sustentar, ela sabe que não lhe resta outra alternativa.
Então, quando encontra o livro Como se casar com um marquês na biblioteca de lady Danbury, para quem trabalha como dama de companhia, ela não pensa duas vezes: coloca o exemplar na bolsa e leva para casa.
Incentivada por uma das irmãs, Elizabeth decide encontrar um homem qualquer para praticar as técnicas ensinadas no pequeno manual.
É quando surge James Siddons, marquês de Riverdale e sobrinho de lady Danbury, que o convocou para salvá-la de um chantagista. Para realizar a investigação, ele finge ser outra pessoa. E o primeiro nome na sua lista de suspeitos é justamente... Elizabeth Hotchkiss.
Intrigado pela atraente jovem com o curioso livrinho de regras, James galantemente se oferece para ajudá-la a conseguir um marido, deixando-a praticar as técnicas com ele. Afinal, quanto mais tempo passar na companhia de Elizabeth, mais perto estará de descobrir se ela é culpada.
Mas quando o treinamento se torna perfeito demais, James decide que só há uma regra que vale a pena seguir: que Elizabeth se case com seu marquês.


Gente vocês repararam bem na sinopse? Virão quem vai dar o ar da graça na trama? Nada mais, nada menos que lady Danbury, aquela mesmo... dos Bridgertons, dos Smythe-Smith... a senhorinha mais desbocada de Londres! Eu quero só ver ela nessa trama! Curiosa/ imagina! Quero demais!!!! Com certeza, mais um sucesso!

Parceria de sucesso essa da Arqueiro e da Julia Quinn!
Confira a duologia:

Resenha Os Mistérios de Sir Richard




Os Mistérios de Sir Richard
Quarteto Smythe-Smith # 4
Julia Quinn
Arqueiro, 2017

Sinopse: Sir Richard Kenworthy tem menos de um mês para encontrar uma esposa.
Ele sabe que não pode ser muito exigente, mas quando vê Iris Smythe-Smith se escondendo atrás de seu violoncelo no musical anual das Smythe-Smith, Richard acha que conheceu alguém muito valiosa.
Ela é o tipo de mulher que passa despercebida até a realização de um segundo ou terceiro olhar de outra forma. Mas há algo nela abaixo da superfície, algo quente e ele sabe que ela é única. Iris Smythe-Smith...Ela está acostumada a ser subestimada, com seu cabelo claro e tranquila, mas há uma personalidade astuta que ela tende a esconder, e ela gosta dessa forma. Então, quando Richard Kenworthy se aproxima com galanteios e flertes, parece suspeito.
Dando a impressão de um homem que se rende ao amor, mas ela. não pode acreditar que tudo é verdade. Quando sua proposta de casamento se torna uma situação comprometedora obrigatória, você não pode deixar de pensar que há algo escondido por trás disso. . . mesmo que o seu coração diz sim.

A trama já começa com uma certa dose de estranheza, afinal quem em sã consciência gostaria de ir a um concerto das Smythe-Smith sem convite formal, ou sem a obrigação social de ir? Esse é sir Richard Kenworthy, um barão jovem, em ascensão e ligeiramente misterioso. Ele tem seus motivos por procurar uma jovem no melhor estilo família e necessita urgentemente se casar para sanar um problema.
Por ai eu já fiquei intrigada, o que esse homem teria de tão misterioso que precisava ser remediado? O que ele escondia?

Por outro lado temos Iris, nem tão doce, nem tão amarga (risos), uma das figuras mais apagadas fisicamente do quarteto, por conta da palidez da pele e a austeridade do seu semblante, mas por trás dessa opacidade tem uma mulher tenaz e muito espirituosa.


“Quase rio. A Srta. Iris Smythe-Smith, a moça com pele brilhante e pálida, com um violoncelo grande demais para seu tamanho, acabara de se tornando sua salvadora. Sir Richard Kenworthy não acreditava em presságios, mas em relação àquele ficaria atento.” p. 13


Quero salientar três pontos da trama: no principio e por boa parte do livro eu não gostei do Richard! Eu fui realmente me apaixonando pelo “vilão”, eu sabia que tinha algum motivo obscuro para que ele se aproximasse de Iris inicialmente e isso me incomodou, eu me senti ultrajada por ela, usada tal como ela, mas depois que descobrir o tal mistério fiquei mais compreensiva mais não consegui perdoá-lo até que ele comesse o pão que o diabo amassou, coisa que a Julia não fez tanto. Queria ver o homem sofrer, Julia! Ele merecia! 

Outro fato e a redenção da autora no livro vou a melhor cena épica do quarteto Smythe-Smith! A encenação da aclamada peça de Harriet, a priminha de Iris, intitulada  “A pastorinha, o unicórnio e Henrique VIII” eu pagava para poder assistir essa clássica encenação divertida! Eu chorei de rir, uma das melhores cenas já escritas pela autora!

Iris me surpreendeu, ela tem uma consciência de si própria, uma natureza desconfiada que lembra muito a mim mesma então eu tive aquela empatia nata por ela, a resiliência dela, a  fortaleza que ela teve nos momentos certos me encantou, uma clássica personagem de Julia: forte e delicada, um contraste bem equilibrado.

A história de Richard e Iris não começou bem, mas encontrou seu final feliz, o casal tem aquela química boa, mas não espere por aquele romance quente, assim como nos seus anteriores “Os segredos de Sir Richard” tem aquele romance mais cálido, mais envolvido pelas situações que propriamente pelo lado sensual, mas não deixa de ser uma ótima trama.

Em suma, tanto esse quanto seus antecessores foram ótimas leituras, esse quarteto marcou!


Resenha A Conquista




A Conquista
Amores Improváveis # 4
Elle Kennedy
Paralela, 2017

Sinopse: De todos os jogadores do time de Hóquei da universidade de Briar, John Tucker se destaca por ser o mais sensato, gentil e amável. Diferente de seus amigos mulherengos, ele sonha mesmo é com uma vida tranquila- esposa, filhos e, quem sabe um dia, abrir um negócio próprio. Mas nem mesmo o cara mais calmo do mundo estaria preparado para o turbilhão de emoções que ele está prestes a enfrentar. Sabrina James é a pessoa mais ambiciosa, dedicada e batalhadora do campus. Seu jeito sério e objetivo é interpretado por muitos como frieza, mas ela não está nem aí para sua fama de antipática. Tudo o que ela quer é passar em Harvard, tirar ótimas notas e conquistar a tão sonhada carreira como advogada. Só assim ela conseguirá escapar de seu passado difícil e de sua família terrível. Um acontecimento inesperado vai desses jovens de cabeça para baixo. Tucker e Sabrina vão precisar se unir e rever seus planos para o futuro. Juntos, eles aprenderão que a vida é cheia de surpresas, e que o amor é a maior conquista de todas.


“Porque o amor é a conquista mais importante. Não é algo que eu tenha buscado, mas que tive sorte, muita sorte, de alcançar.”


Dios mio! Esse livro! Sabe aquele livro que você precisa desesperadamente? Aquele que você sente que se não ler imediatamente vai ter uma sincope? Já sentiram isso, meu povo?

Pois eu senti com “A conquista”, depois do final de “O jogo” eu precisava do livro seguinte e o final da série, essa necessidade louca me fez correr na livraria mais próxima, pagar um pouco a mais do que se comprasse on line, tudo para poder chegar em casa logo e ler o meu mais novo queridinho!

Garrett, tia Thaila ainda te ama, mas no momento ela esta louca de paixão pelo Tucker.
Motivos para essa paixão toda:

1° John Tucker é o cara mais sensacional do planeta, aquele que eu quero e imploro para que apareça na minha vida! O cara cresceu criado pela mãe no Texas, com a herança deixada por conta da morte do pai decidiu estudar e montar seu próprio negócio para poder então cuidar da mãe. Ele é um cara responsável.
2º O cara é um atleta excepcional! Como jogador de hóquei Tucker é maravilhoso, imaginar esse homem no gelo esquenta qualquer coração
3º Nos livros anteriores as participações de Tucker sempre foram as melhores, o cara é amigo de todos, a “mãe” da casa, zelando pelo ambiente e sempre de bom humor e companheirismo.
4º Pensa num boy paciente, amoroso e compreensivo. Daqueles que manda mensagem, abre a porta do carro, leva pra jantar. Sonha com a família que quer ter um dia!

Pneus arriados! Confesso!!!!! Como se esses motivos não bastassem para eu já querer ler o livro dele o mais forte veio justamente do lado feminino: Sabrina James, a garota chegou a ser citada no livro anterior como um desafeto de Dean, então eu estava louca para ver o desenrolar.

Sabrina é uma moça de origem humilde e um passado triste, sem conhecer o pai e abandonada pela mãe ela vive com a avó e o padrasto nojento, sonhando em sair da miséria e conseguir para si um futuro melhor Sabrina se esforça ao máximo na universidade, quer a excelência e não se contenta com menos, mesmo que para isso tenha que sacrificar parte de sua vida social. Homens são um acréscimo esporádico em sua vida, nunca permanentes, mas Tucker esta doidinho para mudar essa situação.

Ambos são determinados e cheios de vontades, igualmente apaixonados e sensuais são uma dupla perfeita. As interações entre eles são as melhores possíveis, seja conversando, comendo ou beijando os dois são uma química explosiva muito bem enredada.

As situações que vem em decorrência desse romance são tão bem escritas e contextualizadas com a atualidade que fazem a trama ter um movimento fluido e agradável, sem falar que esse foi o livro que mais ri da série, ter toda a galera do hóquei reunida dá em muita risada. Não acredito que esse seja o último! Que dor no coração! Eu ainda torço por um livro do Colin Fitzy, o jogador cheio das tatuagens que já arrebatou meu coração, sinto cheiro de boa história! Torcida!!!!

Elle Kannedy se mostrou não só nesse livro, mas na série toda uma autora primorosa, trazendo temas atuais e interessantes para suas tramas, com uma pitada de bom humor e sensualidade a autora é daquelas que te faz rir numa página e chorar na outra. Eu mesma me peguei rindo e chorando com “A conquista”, aliás, não haveria título mais sugestivo, afinal quem não foi conquistado por essa série é porque ainda não leu!

Novo Conceito lança...



Fique Comigo
Tess é apaixonada pelo melhor amigo de seu irmão, Jase, um relacionamento que não tem muitas chances de acontecer. Além do ciúme de Cam, seu irmão, atrapalhar a relação, Jase parece ter um segredo que o impede de levar um relacionamento amoroso. Mas Tess tem algo maior com que se preocupar: sua vida de bailarina pode terminar devido a uma séria lesão no joelho e sua melhor amiga está sendo agredida pelo próprio namorado.
No mesmo universo de Espero por você, Fique comigo é um romance contado de forma leve, mas que aborda assuntos importantes como suicídio, paternidade na adolescência e superação.


Nunca deixe de Acreditar
Christiana Mara Coelho, como ela se chamava quando vivia no Brasil, morou com a mãe em uma caverna, em Diamantina – MG, e após o nascimento de seu irmão, Patrick, foi para São Paulo viver em uma favela. Enquanto a mãe trabalhava, ela rondava pelas ruas da cidade à procura de comida e um lugar para dormir.
Essa rotina se seguiu até Christina completar 8 anos, quando a mãe decidiu coloca-los em um orfanato, com a promessa de visitas todos os domingos. Porém, a diretora do local tinha outros planos para a pequena família Coelho: a adoção. Pouco tempo depois de estarem no orfanato, uma família sueca mudou a vida de Christina e Patrick.
Um drama emocionante, contado através das memórias ainda inocentes de Christina. Uma história que vai fazer você olhar o mundo com outros olhos.
 

 

felicidade em livros 2013 - 2015 * Template by Ipietoon Cute Blog Design Modificado por Fabiana Correa