Link-me

domingo, 15 de julho de 2018

Série The Rokesbys esta chegando....


Oi gente, hoje vim contar uma novidade pra agitar o mundo dos romances de época! Vamos falar da autora queridinha? Julia Quinn esta de volta com lançamento fresquinho pela Arqueiro, vem ai “Uma dama fora dos padrões”, o livro faz parte da série The Rokesbys.

The Rokesbys é considerada um prequel de Os Bridgertons, ambientada no final dos anos 1700. Os Rokesbys são vizinhos e amigos próximos da família Bridgerton. A autora teve a ideia de escrever um pouco mais sobre essa família, pois os próprios leitores pediam a ela para escrever mais livros sobre essa querida e popular família. No entanto, Julia ficou mais interessada em voltar ao passado ao invés de ambientar a história numa próxima geração. Portanto, a trama acontece na era Georgiana, onde eventualmente os leitores poderão conferir e conhecer Edmund e Violet Bridgerton antes deles se casarem.

O livro intitulado “Uma dama fora dos padrões”, ou no seu original “Because of Miss Bridgerton” foi lançado em maio desse ano no exterior e chega as livrarias nacionais com toda qualidade Arqueiro de ser já no dia 01/08! Pertinho!!!!!!
Enquanto aguardamos, vamos conhecer a capa nacional e a sinopse?



Às vezes você encontra o amor nos lugares mais inesperados...
Esta não é uma dessas vezes.
Todos esperam que Billie Bridgerton se case com um dos irmãos Rokesbys. As duas famílias são vizinhas há séculos e, quando criança, a levada Billie adorava brincar com Edward e Andrew. Qualquer um deles seria um marido perfeito... algum dia.
Às vezes você se apaixona exatamente pela pessoa que acha que deveria...
Ou não.
Há apenas um irmão Rokesby que Billie simplesmente não suporta: George. Ele até pode ser o mais velho e herdeiro do condado, mas é arrogante e irritante. Billie tem certeza de que ele também não gosta nem um pouco dela, o que é perfeitamente conveniente.
Mas às vezes o destino tem um senso de humor perverso...
Porque quando Billie e George são obrigados a ficar juntos num lugar inusitado, um novo tipo de faísca começa a surgir. E no momento em que esses adversários da vida inteira finalmente se beijam, descobrem que a pessoa que detestam talvez seja a mesma sem a qual não conseguem viver.


quinta-feira, 12 de julho de 2018

Resenha Nunca Julgue Uma Dama Pela Aparência



Nunca Julgue Uma Dama Pela Aparência
O Clube dos Canalhas # 4
Sarah MacLean 
Gutenberg, 2016

Sinopse: Duncan West, assim como todos os homens, enxerga apenas o que quer... Mas ele estava prestes a ver o que não queria.
Para a aristocracia, Lady Georgiana é a pobre irmã de um duque, rejeitada pela família após ter sido arruinada no pior tipo de escândalo possível: uma mulher que fez escolhas infelizes ao entregar-se de corpo e alma para um rapaz que todos desconhecem.
Mas a verdade é sempre muito mais chocante! Nos recônditos mais obscuros de Londres, Lady Georgiana é a mulher mais poderosa da Grã-Bretanha, a rainha do submundo londrino, e atende pelo nome de Chase, o lendário e temido fundador do cassino mais exclusivo da cidade, o Anjo Caído.
Circulando disfarçada pelos corredores de seu império, Chase sabe dos piores segredos dos figurões da sociedade e tem todos os poderosos na palma de sua mão, mas durante anos os seus próprios mistérios nunca foram descobertos Até agora!
Brilhante, inteligente e bonito como o pecado, o jornalista Duncan West está intrigado com a linda mulher que de alguma forma está ligada a um mundo de trevas e perdição. Ele sabe que Georgiana é muito mais do que parece e promete desvendar todos os seus segredos, expondo seu passado, ameaçando seu presente e arriscando tudo o que ela tem de mais precioso. Inclusive seu coração.

Estava bem ansiosa para ler esse livro. Georgiana é uma velha conhecida dos livros de Sarah, a jovem abastada que burlou as regras da sociedade se entregando a um homem e se tornando mãe solteira, uma mácula para uma elite hipócrita. Renegada e enxotada, ela ressurge como a dona do cassino mais aclamado de Londres, o que o mundo diria ao saber que o implacável Chase na verdade é uma mulher? Uma mulher que a elite desprezou apesar das raízes nobres?

Esse é o grande mistério da trama, eu particularmente adoro ver Georgiana sambando na cara da elite londrina, e como ela samba! Mas, apesar de odiar essa hipócrita sociedade, pelo bem de sua filha Caroline ela precisa se casar, precisa ser respeitada novamente pelas alianças do casamento e é ai que Ducan West entra.

Dono do maior jornal, Ducan tem por missão transformar Georgiana na mulher que todo nobre gostaria de ter, missão fácil, uma vez que ele mesmo adoraria tê-la para si. Ao mesmo tempo inalcançável e desejável Georgiana se tornou uma fonte inesgotável de atração para Ducan.

O livro que marca o final da série dos Canalhas não poderia ser melhor representado, Georgiana e Ducan são um casal cheio de mistérios e de uma química impar, com eles a adrenalina não acaba e as faíscas que eles soltam parecem que vão saltar do livro. Uma personagem secundária, mas que também daria uma ótima protagonista e pra quem tiro o chapéu nessa trama é Caroline, que assim como a mãe , é forte e imponente e não se deixa afetar por qualquer coisa, ela decide ser a protagonista de sua história! Nota 10 pra ela!

De uma maneira cativante Sarah MacLean se tornou uma de minhas autoras favoritas ao longo dessa série, com personagens fortes e regada de um humor contagiante e de muito romance a autora conseguiu escrever quatro livros fantásticos e conseguiu trazer para sua trama enredos atuais e que foram problematizados aos longo das histórias, focando principalmente no papel da mulher e da real importância do que é amar alguém. Quer um bom livro? Ta querendo começar uma nova série? Leia os Canalhas dessa autora fantástica!



sexta-feira, 6 de julho de 2018

Os brutos chegaram na Harlequin

 Oi gente bonita, tenho uma novidade super legal pra compartilhar! Janice Diniz, a rainha da Amazon e Wattpad chega na editora mais romântica com muito romance bom!




Sinopse: Mário Lancaster e Natália Esteves parecem não ter nada a ver um com o outro: ele é um ex-peão de rodeio e ela, uma empresária sofisticada de uma metrópole. Ela deve demitir funcionários da maior fábrica local, e ele é o responsável por convencê-la a mudar de ideia. Eles estão em lados opostos, mas a química entre os dois é impossível de ignorar. Bruto e apaixonado é o primeiro volume da série Irmãos Lancaster e uma história irresistível de amor, superação, sedução e, claro, caubóis atraentes e possessivos.Mário Lancaster e Natália Esteves parecem não ter nada a ver um com o outro: ele é um ex-peão de rodeio e ela, uma empresária sofisticada de uma metrópole. Ela deve demitir funcionários da maior fábrica local, e ele é o responsável por convencê-la a mudar de ideia. Eles estão em lados opostos, mas a química entre os dois é impossível de ignorar. Bruto e apaixonado é o primeiro volume da série Irmãos Lancaster e uma história irresistível de amor, superação, sedução e, claro, caubóis atraentes e possessivos.


segunda-feira, 2 de julho de 2018

Resenha A Luz Que Perdemos




A Luz Que Perdemos
Duas vidas. Dois amores. Uma escolha.
Jill Santopolo
Arqueiro, 2018
Sinopse: Lucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo.
Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York.
Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro.
Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados?
A luz que perdemos é um romance impactante sobre o poder do primeiro amor. Uma ode comovente aos sacrifícios que fazemos em nome dos ­nossos sonhos e uma reflexão sobre os extremos que perseguimos em nome do amor.

Você já parou para pensar nas circunstâncias que te levam a determinado ponto em sua história? Que algumas pessoas entrarão em sua vida de uma maneira inesperada e mudarão para sempre sua forma de pensar, agir e ser?


"Não sei por que te conheci naquele dia, mas sei que, por isso, você passou a fazer sempre parte da história da minha vida."


O 11 de setembro mudou muitas vidas. Num até então dia comum, o mundo parou para ver o ataque terrorista que destruiu as torres gêmeas, milhares de pessoas viram suas vidas darem giros de 360º, alguns perderam familiares e amigos, outros tiveram que encarar a efemeridade da vida. Essa data marcou o encontro de Gabe e Lucy, duas pessoas tão diferentes, mas com uma paixão desenfreada, uma relação que os acompanharia ao longo da vida.

É intrigante que desde o inicio quando comecei a leitura já sabia que seria um livro daqueles que marcariam minha história enquanto leitora. Facilmente nos recordamos de alguém que conhecemos em um dia comum e que não gostaríamos nunca de perder, alguém que marcou tanto nossa história que poderia ser uma tatuagem em nossa pele. Gabe foi essa tatuagem em Lucy.

Gabe tem aquela ansiedade de se descobrir no mundo e de alguma forma ajudá-lo a mudar e nessa busca ele e Lucy se perderam um do outro, ou melhor, ele deixou Lucy e a grandiosa história de amor deles poderia ter chegado ao fim, mas como imãs eles sempre encontraram uma forma de aproximarem. Confesso que no começo não simpatizei com Gabe, suas atitudes grandiosas, mas tão frias em alguns momentos me deixaram com aquele grandioso pé atrás ao passo que o sofrimento de Lucy pela partida dele e os sonhos de amor destruídos me inflamaram contra Gabe, por assim dizer.

Eu me doi por Lucy, inegável. É pelos olhos e lembranças dela que vamos conhecendo a história dela e de seus amores, por isso eu senti a tristeza dela após o término, o quanto seu coração foi destruído e ao longo do livro fui vendo que Gabe não a merecia, não merecia o amor que ela oferecia tão profundamente. Entretanto, Lucy é muito mais que a mocinha sofredora por amor, ela é uma personagem forte, amadurecida pelas circunstâncias e que assim como Gabe, conseguiu construir uma carreira da qual se orgulha.

Conforme o tempo passa, Lucy conhece Darren, aquele homem que também mudaria sua vida. Estável, divertido e principalmente, constante. Darren era o porto seguro que Lucy precisava. Ela o amou, mas também nunca deixou de amar Gabe.


“As linhas que separavam “você” de “mim” dissolviam-se cada vez mais em um “nós”.” 


Um é a estabilidade, o outro, o acaso. Um é fogo, o outro é calma. Dois homens diferentes, mas igualmente perfeitos em sua maneira de ser.

Acompanhar os altos e baixos da vida de Lucy e a forma como ela se completou com esses dois amores também é um momento de reflexão, nenhum dos três personagens desse imbróglio amoroso é perfeito, ao longo dos anos passados na trama vamos vendo como cada um foi cometendo seus erros, seus acertos e dando aquela pontinha de decepção, como qualquer humano. Ao longo da narrativa me senti como se a própria Lucy estivesse me contando sua história como um segredo, me senti cúmplice (no bom sentido da palavra) e pertencente de sua história!

Vários pontos na trama são extensivamente positivos: a estrutura da narrativa, em capítulos curtos, nostálgicos e emotivos, regados de simbolismos e lembranças, a passagem do tempo compondo um enredo de movimento, de amadurecimento e autorresponsabilidade, essa composição reflexiva dos personagens, essas atitudes tão reais e humanamente possíveis, a abordagem para falar de pertencimento e das relações.


“O amor faz isso. Faz você se sentir invencível e infinito, como se o mundo inteiro estivesse à nossa disposição, tudo pudesse ser conquistado e todo dia fosse repleto de maravilhas. Talvez porque nos abrimos para alguém, nos deixamos penetrar pelo outro. Ou talvez seja se doar tão profundamente a outra pessoa que o coração da gente se expande.”


O final é reflexivo, ao longo do livro você vai perceber que não existe um caminho único, mas sim as escolhas de Lucy geraram consequências, assim como nossas escolhas impactam a nossa vida. Causa e consequência, mais um livro pra reforçar aquele pensamento que eu tenho comigo que nada é por acaso. 

Arqueiro, obrigada por mais uma história presente. “A luz que perdemos” assim como nada na vida, não veio por acaso, eu a li no momento em que precisava ler, ela me deu um pouquinho mais de esperança. Apesar de não ter me feito chorar, a história me tocou de maneira tão profunda e intensa que dificilmente seria explicável em palavras, mas com sinceridade espero que a resenha minimamente faça jus a intensidade e beleza da trama!