Resenha Sete dias Sem fim



 Sete dias sem fim

- Jonathan Tropper-
Arqueiro, 2014
Judd Foxman pode reclamar de tudo na vida, menos de tédio. Em questão de dias, ele descobriu que a esposa o traía com seu chefe, viu seu casamento ruir e perdeu o emprego. Para completar, seu pai teve a brilhante ideia de morrer. Embora essa seja uma notícia triste, terrível mesmo é seu último desejo: que a família se reúna e cumpra sete dias de luto, seguindo os preceitos da religião judaica.
Então os quatro irmãos, que moram em diversos cantos do país, se juntam à mãe na casa onde cresceram para se submeter a essa cruel tortura. Para quem aprendeu a vida inteira a reprimir as emoções, um convívio tão longo pode ser enlouquecedor.
Com seu desfile de incidentes inusitados e tragicômicos, Sete dias sem fim é o livro mais bem-sucedido de Jonathan Tropper. Uma história hilária e emocionante sobre amor, casamento, divórcio, família e os laços que nos unem – quer gostemos ou não.



Judd ama sua família, desde que sejam eles lá e ele cá! Simplesmente a família Foxman não lida muito bem com emoções, mas agora todos terão que cumprir o shivá, tradição judaica do luto, já que o patriarca bateu as botas, bem só que o irônico é que o velho senhor Mort Foxman era ateu...
Realmente essa não é a melhor hora para Judd reencontrar sua família, além de desempregado, sem casa, sem esposa, mas com um belo par de chifres ele esta no fundo do poço, já que não basta pegar sua esposa no flagra com outro, esse outro tem que ser seu super másculo chefe!
“E agora não tenho esposa, nem filho, nem emprego, nem casa, nem qualquer outra coisa que indique uma existência vivida com algum sucesso. Posso não ser velho, mas sou velho demais para ter tanto nada” p. 61
Realmente já da pra perceber que esse shivá será uma tortura! De repente a casa se torna pequena para Judd, seus irmãos Paul, Wendy e Phillip e os conjugues, sobrinhos e problemas particulares de cada um, sem falar nas visitas inconvenientes e a comida que parece nunca terminar.
Entretanto, esta não será uma semana totalmente perdida! Já que os irmãos estão juntos depois de muitos anos talvez seja a hora de finalmente acertar questões do passado e quem sabe finalmente poderão tornar-se uma família de verdade?
Toda a família é uma loucura, os irmãos são desbocados, a mãe não tem limites e nem papas na língua e pra falar a verdade até a casa parece ser meio louca! Narrado sob o ponto de vista de Judd vamos acompanhando essa semana extraordinária na vida de todos os Fxrman’s, desde os acontecimentos mais infelizes e portanto, mais hilários até os momentos mais sérios de devaneio deste homem que tem que pensar em sua vida, nas suas escolhas e procurar mais motivações nessa nova etapa.
“Você se casou assim que saiu da faculdade. Está apavorado de ficar sozinho. Qualquer coisa que fizer agora será motivada por esse medo. Você precisa parar de preocupar em encontrar novamente o amor. Vai acontecer naturalmente.” p. 255
Confesso que em alguns momentos desgostei de Judd, seu jeito despreocupado e algumas situações que acontecem me deixaram incomodada com seu jeito despreocupado e alheio, mas em outros momentos seu tédio e sua autocomiseração foram tão profundos que me fizeram querer acalentá-lo.
Com um ar meio de chick lit em uma versão totalmente masculina, Jonathan Tropper consegue com talento conduzir o leitor a dar boas risadas e também se colocar no lugar de Judd e fazer reflexões interessantes sobre família, maior, amizades, passado, presente e futuro! Fiz uma promessa a mim mesma de procurar mais livros do autor para ler, se todos tiverem essa veia tragicômica como abordagem central ele tem tudo para se tornar um dos queridinhos da minha estante.

13 comentários:

  1. Thaila, se eu não me engano, já li algum outro livro do autor e gostei da sua narrativa. Acho que lerei esse também :)

    Beijos,
    Caroline, do criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. provavelmente você leu "Como falar com um viúvo"

      Excluir
  2. Oi, Thailinha, gostei desse livro, um misto de deprê com situações cômicas, Judd ri de sua desgraça e adorei esse jeito dele. A cena do bolo com as velas é hilária, ri horrores. Mas gostei mesmo foi do drama que cerca a narrativa e dos conflitos familiares. Isso é muito real e o que eu mais gosto numa leitura.
    Beijo!
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  3. Esse livro esta na minha wishlist!
    Quero muito!
    Beijos, Ana do dia ♥

    ResponderExcluir
  4. Oie Thaila
    eu amo esse autor. Ele tem o dom de criar personagens masculinos muito bem caracterizados. Dele eu já li Tudo pode mudar, e amei.bjo
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  5. Esse livro parece ser muito divertido, adorei o fato de você citar que esse é um chick lit na versão masculina hahaha Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Que bom saber que gostasse do livro.
    Ele entrou para meus preferidos. Esse humor negro deu um charme a história.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  7. Não sabia que tinha uma pegada chick lit, adorei! *-*
    Tem o filme né? Quero assistir também!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  8. Oi flor!!
    Já li outro livro do autor, e sim, ele faz chick-lit para homens, e acho isso o máximo!!
    Explorar a vida sentimental, os problemas, as nuances da vida masculina é incrível!! E ele escreve de um jeito maravilhoso!!
    Leia quando puder o livro Tudo Pode Mudar, você vai gostar.

    Quanto a esta resenha... Adorei!!!
    É minha próxima leitura e já vi que vou gostar bastante!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu ainda não li nenhum dos dois, mas confesso que fiquei mega curiosa para ler esse e o Tudo pode mudar.
    Parece aqueles livros de se dar boas risadas

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 6 livros para escolher, kit de marcadores e 3 ganhadores.

    ResponderExcluir
  10. O livro não parece ser ruim.
    Confesso que não tenho muita vontade de ler ele.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi, Thaila! :)

    Já ouvi falar desse autor, mas nunca li seus livros. Gosto de tragicômico, mas o enredo de Sete dias sem fim não chamou muito a minha atenção. Entretanto, sua resenha me deixou curiosa para saber o que aconteceu no fim desses sete dias, rs.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá Thaila,

    Essa é a primeira resenha que leio do livro, tinha muita curiosidade em saber como seria essa obra e sua resenha me esclareceu, vai para a minha lista....abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela será muito bem vinda e levada em consideração para promover melhorias!

 

felicidade em livros 2013 - 2015 * Template by Ipietoon Cute Blog Design Modificado por Fabiana Correa