Resenha Dois a dois




Dois a dois
Nicholas Sparks
Arqueiro, 2017

Sinopse: Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos.
Em questão de meses, Russ perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.
Lançando-se nesse universo desconhecido, Russ embarca com London numa jornada ao mesmo tempo assustadora e gratificante, que testará suas habilidades e seu equilíbrio emocional além do que ele poderia ter imaginado.
Em Dois a dois, Nicholas Sparks conta a história de um homem que precisa se redescobrir e buscar qualidades que nem desconfiava possuir para lutar pelo que é mais importante na vida: aqueles que amamos.
O quanto sua vida pode mudar em um ano?

Russ sempre foi um homem bem sucedido, trabalhando em uma importante firma, tendo a bela esposa e a graciosa filha, completando com a casa ao melhor estilo comercial de margarina, mas quando ele decide abrir sua própria empresa tudo sai dos trilhos, como dinheiro não da em arvore, Vivian, a esposa do lar, teve que retornar ao mercadod e trabalho e os papeis se inverteram.

Enquanto Vivian vai trabalhar é Russ que tem que lidar com a filha London, uma menina extremamente meiga, perceptiva e cheia de tarefas e compromissos, o que faz com que ele se veja numa situação complicada para gerir a agenda da menina e sua própria carreira.  


“Dois a dois, pensei enquanto descia a escada. London e eu, pai e filha, ambos fazendo o melhor que podíamos.” p. 116


Conforme os meses e as situações passam não só Russ mudou, mas Vivian também e eu claro que já antipatizei com ela, realmente ela é uma verdadeira narcisista sem real comprometimento nem com a filha nem com o marido, parece que ela estava com vontade de brincar de casinha.

Eu quando leio um livro em minha mente sempre imagino uma voz diferente para cada personagem e na minha história Russ começa como aquele de voz suave, baixa, amedrontada, ele é feito de capacho minha gente, a relação que ele estabelece com Vivian é tão superficial que não sei como se sustentou por tanto tempo. Conforme ele vai evoluindo como pai, como profissional, como pessoa eu passei a imaginá-lo com outra voz, mais imponente, mais forte, mais decidida.

O Russ do começo do livro e do final não são iguais, acho interessante quanto o personagem passa por esse processo de amadurecimento. É interessante que para melhorarmos como pessoa precisamos de um choque tão profundo como o temível “fundo do poço”.


“Lembre você não é suas emoções [...] você está triste, mas não é uma pessoa triste, e também não vai ficar triste para sempre [...].” p. 251


Saindo do aspecto romântico da trama, o foco de Sparks nesse livro em especial foi explorar a questão paternal. Afinal, o que é ser pai? Qual o papel do pai na vida da criança e qual o papel da criança na vida do pai. Foi emocionante ler e sentir o estreitamento dos laços entre London e Russ, eles por meio de algo ruim tiveram a oportunidade de se conhecerem verdadeiramente.


“Meu amor por London jamais estivera em questão. O que eu agora ompreendia era que também gostava dela, não só como minha filha, mas como a menina que só pouco tempo antes passara a conhecer.” p. 190


Em se tratando de Sparks já espere choro, é natural, ele sempre sabe valer-se da emoção para criar enredos únicos e decisivos para seus personagens e para as emoções de seus leitores. Encontros, desencontros, surpresas, emoções, risos e choros, isso e muito mais são verdadeiros ingredientes para a trama.

Confesso que já estava apaixonada pela capa, mas depois que li o livro e entendi a proposta da capa para a história ela se tornou uma das mais queridinhas da minha estante, como sempre uma composição perfeita.


“Lembra do que eu te falei sobre amizade? É alguém entrar na sua vida e dizer ‘Estou do seu lado’, e depois provar.” p. 421


Sparks teve a sensibilidade de trazer para seu livro um tema atual e problematizá-lo a fundo, sem perder a delicadeza de explorar a relação entre pai e filha. O autor não perde a linha ao trabalhar os demais temas abordados no livro como as novas possibilidades familiares ou de mostrar o pior lado do ser humano, mas não se pode deixar de lado aquela mensagem importante, clichê e verdadeira que mesmo nos momentos mais ruins as coisas podem melhorar. Mais um romance delicia que vai par a lista dos favoritos.

4 comentários:

  1. Oi Thaila! Faz tempo que não leio Sparks e eu gosto bastante dos dramas que ele traz em suas histórias e a forma como os torna reais para nós.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  2. Parábéns pela resenha Thaila! Estou ansiosa para ler Dois a Dois! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  3. AMO!! Adorei a resenha e claro que vou ler. Comprarei em breve!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Thaila, sua linda, tudo bem?
    Desde que foi lançado, me apaixonei pela história, pois adoro enredos com crianças. Fiquei revoltada com a esposa dele, já vi que não irei gostar dela. Torcendo para que ele encontre o amor verdadeiro com outra pessoa e que ele e a filha sejam felizes. Não vejo a hora de ler!!! Sua resenha ficou ótima!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela será muito bem vinda e levada em consideração para promover melhorias!

 

felicidade em livros 2013 - 2015 * Template by Ipietoon Cute Blog Design Modificado por Fabiana Correa